Como Investir na Bolsa de Valores ?

      COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES Para quem procura rendimentos mais generosos do que a poupança, por exemplo, a bolsa de valores pode ser uma saída. Porém, o investidor deve estar ciente que pode ou não fazer um bom negócio por causa dos riscos que esse tipo de investimento trás. O melhor mesmo, nesse caso, é ter sempre um plano B para o caso de alguma coisa sair errado.     Bolsa de valores É na bolsa de valores que os investidores se encontram para negociar as ações das empresas e de outros produtos financeiros. Diversos setores negociam suas ações, desde os bancos até a área de saúde. O que é ação Imagine que a empresa foi dividida em um milhão de pedaços, por exemplo. As ações seriam esses pequenos pedaços e, ao comprá-las, você estaria adquirindo um pedaço dessa empresa, tornando-se assim, um sócio. Ao se tornar um sócio você tem direito a receber parte dos lucros da mesma. Em alguns casos, até o direito de participar de assembleias é adquirido na compra das ações. Tipos de ações São dois os tipos de ações: Ordinária Nominativa (ON) e Preferencial Nominativa (PN). A diferença entre as duas é que a ON dá direito a voto em assembleia da empresa. Enquanto que a PN não dá direito a voto; sua preferência está no recebimento de dividendos. Outra diferença nos tipos de ações é que as ONs nem sempre terão dividendos iguais aos dos PNs: as preferenciais nominativas possuem valores maiores e são as mais vendidas e compradas. Como investir na bolsa de valores No Brasil, as ações são negociadas na Bovespa por meio das corretoras habilitadas pela CVM (Corretora de Valores Mobiliários). Para se tornar um investidor na bolsa de valores é necessário estar cadastrado em uma corretora. Para isso, escolha a corretora de sua preferência e informe seu nome, profissão, endereço e entregue cópias do RG, CPF e comprovante de residência. Após o cadastro, a corretora...

Continue Lendo

Como investir no Tesouro Direto ? Confira Tipo de Aplicação

      Boa parte dos brasileiros acredita que a única forma de fazer um investimento rentável e seguro é através da bolsa de valores. Mas existe outra opção muito vantajosa e rentável para qualquer pessoa: o Tesouro Direto.       O que é Tesouro Direto          O Tesouro Direto surgiu no ano de 2002 como um programa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas.          Antes do início desse programa, o investimento em títulos públicos só era possível de forma indireta através dos fundos de renda fixa. Atualmente, quem tiver acesso a internet e estiver com pelo menos R$ 30,00 em mãos já pode comprar um título público com a garantia do Tesouro Nacional.          Para quem deseja fazer um planejamento financeiro sem complicação essa é uma das melhores formas de investimento, pois apresenta uma boa rentabilidade e liquidez diária além dos riscos serem mínimos.   Como funciona          Ao comprar um título público você já fica sabendo quanto que ele vai lhe render em um determinado tempo, pois os mesmos possuem uma data de vencimento.          Mas, se você quiser vendê-los antes do prazo não precisa se preocupar: o Tesouro Nacional garante a sua compra. Lembrando que, apesar do valor mínimo para o investimento ser de R$ 30,00, a instituição, por causa das taxas cobradas, é quem vai determinar o valor mínimo para abrir a conta.   Investindo no Tesouro Direto          Se você mora no Brasil, possui CPF e está cadastrado em um banco ou corretora que seja autorizada pela Secretaria do Tesouro Nacional, já está bem mais próximo de comprar um título público.          Caso você ainda não esteja cadastrado em um banco ou corretora a realização do mesmo é simples: você deve informar o nome, profissão, endereço e entregar cópias do CPF, RG e comprovante de residência.          A partir daí, você receberá uma senha (que deve ser trocada por uma que contenha entre 8 e 16 dígitos com letras, caracteres...

Continue Lendo

Rendimento da poupança. Confira as vantagens de Investir Poupança

      A grande maioria dos brasileiros escolhe investir seu dinheiro na Caderneta de Poupança. Esse investimento se torna vantajoso por diversos motivos. O principal é que ele não gera cobranças para quem o utiliza e rende todo o mês. É uma forma segura para você investir dinheiro sem riscos, pois o investimento é garantido, vai trazer rendimentos mensais e mesmo que o banco tenha problemas e quebre, o Fundo Garantidor de Crédito garante um valor aproximado de R$ 60 mil para o dono da conta.   O QUE É A POUPANÇA?          A conta poupança é o mais popular investimento do Brasil. É uma conta aberta em um banco onde você deposita seu dinheiro e deixa para que ele renda. É um investimento de baixo risco garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito.   COMO OBTER UMA CONTA POUPANÇA Para que você tenha uma conta poupança, basta ir a um banco de sua preferência munido dos seguintes documentos: Identidade, CPF e comprovante de residência, além de ser maior de idade. Você não precisa comprovar sua renda e, o principal, você não paga nenhuma taxa para a abertura da conta poupança.   VANTAGENS DA CONTA POUPANÇA Uma das grandes vantagens da caderneta de poupança é que você não tem uma taxa de manutenção da conta. Esse é um dos fatores que diferem a conta poupança e a conta corrente de um banco. Isso se deve porque o objetivo da conta poupança é que você realmente poupe dinheiro, não que você fique movimentando dinheiro. Ou seja, o interesse é que você coloque o dinheiro no banco e deixe ele ali, esperando os rendimentos da poupança. Quanto mais tempo você deixar o dinheiro mais ele vai render, assim como um valor maior terá um rendimento maior dentro do mês.   COMO FUNCIONA O RENDIMENTO DA POUPANÇA? Um fato importante de se pensar é que, como o investimento é sem risco, diferente de bolsa de valores e outros tipos de investimento, a...

Continue Lendo

Planejamento Financeiro Eficiente

      “Para ter um Planejamento Financeiro eficiente, não basta ter uma ideia de quanto você ganha e de quanto gasta.”Criar o hábito de manter um levantamento detalhado de suas finanças ajuda a identificar gastos desnecessários, a enxugar despesas, encontrar possíveis alternativas de renda ou mudanças no estilo de vida que ajudam a deixar suas finanças no azul. Como detalhar meu orçamento? O melhor caminho é montar uma planilha de finanças pessoais. Há muito modelos disponíveis para download na internet, mas você pode montar uma, se preferir. O que anotar? Tudo. Anote todas as fontes de receita e todas as despesas, mesmo as menores e eventuais. Algumas dicas: Quando listar as despesas, tenha o hábito de posicionar o depósito em investimentos logo no começo, para estimular o hábito de poupar como um compromisso em vez de investir só o que sobrar. Planeje os gastos futuros, como presentes em datas especiais para as pessoas mais queridas. Assim fica mais fácil criar uma pequena poupança para fazer essas compras à vista. É interessante criar esse mesmo hábito para despesas como IPVA, DPVAT, IPTU. Fique atento! Saiba para onde está indo seu dinheiro! Guarde as notas fiscais e comprovantes de pagamentos feitos, para não se esquecer de nada. Como usar? Uma vez montada a planilha e abastecida de dados, identifique onde é possível melhorar suas finanças. Dica Antes de olhar as somas da sua planilha, faça um exercício e liste os gastos que você imagina que tem no dia a dia. Depois, compare com a realidade e identifique os ajustes necessários. Confira algumas perguntas que podem lhe ajudar nessa análise: Onde estou gastando mal? Onde posso reduzir os gastos? Posso sair para jantar fora duas vezes por mês, em vez de todos os fins de semana? Eu tenho tempo de ver televisão? Assisto só a cinco canais da TV por assinatura, enquanto tenho mais de cem disponíveis? Gasto demais com presentes para os outros? Meus filhos podem ir a menos festas...

Continue Lendo

Ter dinheiro e crédito significa ter segurança financeira?

      O que é segurança financeira? “Segurança financeira pode ser traduzido como o montante de dinheiro que, ao ser investido, gera uma renda para pagar suas necessidades financeiras, independente de você estar trabalhando ou não.” O importante é lembrar que nem sempre ter dinheiro e crédito significa ter segurança financeira. Afinal, quantas pessoas ganham muito e mesmo assim não conseguem guardar dinheiro para investir? Dica: tente guardar no mínimo 20% do seu salário todo mês em uma poupança ou em aplicações financeiras que combinem com o seu orçamento. E quanto aos créditos e empréstimos? Muitas pessoas ainda utilizam o cartão de crédito e o limite do cheque especial para complementar o salário e acabam se endividando. Um exemplo: você pega um empréstimo de R$ 1 mil, com taxas de juros que podem chegar a 240% ao ano, dependendo do crédito solicitado. Nesse caso, o valor da dívida pode chegar a R$ 3.500 em apenas 7 meses. Por isso, antes de pedir um empréstimo, planeje suas decisões, calcule riscos financeiros e, se for necessário, faça ajustes no orçamento doméstico. É sempre melhor cortar alguns gastos desnecessários do que se endividar para realizar projetos impulsivos. Se ao avaliar tudo, você ainda precisar de um empréstimo, não ultrapasse o limite de 30% de sua receita líquida para não comprometer o seu futuro. Qual a importância de se manter uma reserva financeira? Você pode usar o valor guardado durante emergências ou quando surgir um gasto inesperado; No futuro, essa reserva pode se tornar uma renda mensal para que você possa complementar sua aposentadoria ou simplesmente viver mais tranquilo. Ter dinheiro e crédito significa ter segurança financeira?5 (100%) 1...

Continue Lendo

Ganhar mais significa poder gastar mais?

      “Ganhar mais não significa poder gastar mais. Na verdade, ao aumentar seus ganhos, você vai precisar aprender a utilizar os novos recursos de forma planejada e, assim, fazer mais com menos.” Para melhorar sua qualidade de vida financeira, só existem duas regras: ou você diminui as despesas ou aumenta os ganhos. O importante é lembrar que, ao aumentar a sua receita, você também vai precisar montar um planejamento muito mais rigoroso para evitar problemas financeiros. Que comportamento devo adotar quando ganhar mais? Quite suas dívidas e evite desperdícios; Faça um bom plano financeiro para que seus recursos sejam bem aproveitados; Aprender a identificar oportunidades de negócios e investimentos que façam seu dinheiro render; Aumente de seu patrimônio, compre bons imóveis e faça uma reserva financeira para o futuro; Não pense que ao ganhar mais, você poderá gastar mais, pois, uma regra fundamental para a sua saúde financeira permanece a mesma: tente sempre gastar menos do que você ganha. Ganhar mais significa poder gastar mais?5 (100%) 1...

Continue Lendo

Crédito Associativo – Financiamento Caixa – O que é ?

    Crédito associativo é o financiamento à  produção da Caixa que demanda a formação de um primeiro grupo, cujos  financiamentos, FGTS e subsídio somam o custo da obra da primeira fase  de torres mais toda a área comum do empreendimento. 2. Qual a diferença entre repasse e crédito associativo? a. O repasse é o momento em que o cliente efetiva o  financiamento junto à  Caixa e ocorre somente  após a entrega das  chaves. Os incorporadores que fazem somente o repasse e não utilizam o  crédito associativo não obtém os recursos para financiamento à produção  da Caixa, mas de outras fontes de capital tais como abertura de ações em  bolsa, adiantamento de recebíveis com bancos entre outros. Neste caso o  incorporador demanda do cliente em torno de 30% do valor do apartamento  até a entrega das chaves, pois não tem 100% do capital para  financiamento da obra.  3. Porque o crédito associativo dá mais vantagens para o cliente?    a.Ele dá mais vantagens porque a Caixa efetua  análise técnica e jurídica do empreendimento e mantém   sob  sua  gestão os  recursos necessários para a conclusão das obras e legalização do  empreendimento, além de efetuar vistorias mensais na obra para liberação  dos recursos. O cliente conta também com o Seguro de garantia de  término de obra, além dos seguros que cobrem desemprego e morte e  invalidez permanente, que no caso de morte ou invalidez permanente o  financiamento é quitado. 4. Quais as “desvantagens” do crédito associativo? a.A Caixa é bastante exigente e tem uma burocracia  maior para aprovar o financiamento do cliente. Ela tem várias instâncias  de aprovação e a documentação pedida para o cliente é bastante extensa,  podendo o correspondente pedir repetidas vezes a mesma documentação ou  outras que a Caixa venha a exigir, além de atualizações dos documentos  entregues anteriormente. Por essas razões é possível que um  empreendimento demore um pouco mais que o normal para ter suas obras  iniciadas e o contrato com a Caixa assinado. 5. Porque a Caixa nega um...

Continue Lendo

Cadastre-se

Receba Informações sobre os Novos Lançamentos.

Cadastre-se

Receba Informações sobre os Novos Lançamentos.

Hospedado e monitorado IT9 - ABCtudo Todos os direitos